As sessões com o professor não são como um cursinho e nem são aulas tradicionais, são sessões. Chegou a hora de pôr em prática o que você aprendeu até agora. É hora de falar, aprender e melhorar.

As sessões com o professor são conversações verdadeiras em tempo real. Como uma língua é algo vivo, as sessões também são. O professor cria uma conexão viva para que o estudante fique presente, atento, consciente, desperto, e acordado mentalmente durante a sessão. O estudante e o professor tem que estar presente mentalmente no agora e aqui, em tempo real. Cada sessão é sobre o que o estudante gostaria de saber ou conhecer. O estudante tem que pensar, ou pelo menos tem que começar a pensar em inglês com a assistência do professor. As sessões ajudam o estudante a falar em inglês, dentro das suas possibilidades de poder falar no momento, usando as palavras que já tem e, com a ajuda do professor, obter outras maneiras de dizer a mesma coisa para aumentar o seu vocabulário. O estudante também precisa fazer a sua parte. Precisa ler todos os dias, mesmo que seja por cinco minutos por dia. Se puder passar mais tempo seria melhor ainda.

A prática é a chave para começar a pensar em inglês usando o seu vocabulário atual. O importante é falar. Precisa treinar e, principalmente, aprender com os erros. Errando é que se aprende. Sempre é assim e sempre será assim na vida porque a vida é uma grande escola. Há muito para aprender e viver.

O professor serve como orientador. Ele é um guia para ajudar o aluno a perceber o que se fala em inglês (as palavras certas), os sons de inglês (a pronúncia) e entender a estrutura de inglês (a gramática), em geral.

O estudante tem que se dar conta que a responsabilidade é, no final das contas, do aluno. Para aprender qualquer coisa, principalmente, uma língua, a prática é fundamental e essencial. A responsabilidade não é só do professor. O professor vai ajudar, sim, e vai dizer o que precisa fazer para melhorar, mas, se o estudante não se interessa na sua própria aprendizagem não há professor nenhum no mundo inteiro, por melhor que seja, que possa ajudar.


“Não se pode ensinar nada a um homem;
só é possível ajudá-lo a encontrar a coisa dentro de si.”

+ Galileu Galilei +

Para ser mais do que um estudante passivo e se tornar um aluno proativo é preciso fazer algo fora das sessões, todos os dias, por, pelo menos, cinco minutos por dia. Tem que viver a língua. Tem que fazer inglês parte da sua vida pelo resto da vida se é realmente sério. Falar uma língua requer atitude, determinação, persistência , paciência, dedicação e, acima de tudo, continuidade.

É preciso tomar as rédeas do seu “cavalo” de aprendizagem para adiantar-se em inglês.

O estudante tem que achar assuntos interessantes seja leitura, vídeo ou audio ou uma combinação de tudo. O professor pode ajudá-lo achar coisas interessantes na Internet. A leitura é a chave da aprendizagem de qualquer língua. A leitura ensina como pensar na língua e ela é uma fonte de novas palavras e novas ideias. O que interessa o aluno vai ajudar muito, porque aquilo que o estudante gosta, ele vai ler com prazer e com interesse. O estudante pode escolher, à vontade, artigos online sobre qualquer coisa que queira saber em inglês. O aluno deve enviar, com antecedência, por e-mail, o link ou o arquivo, ao professor porque ele vai ter que ler ou ver também o que o estudante está lendo ou assistindo para melhor ajudar na hora de conversar sobre o assunto que o estudante escolheu. A sessão será sobre o tópico que o aluno escolhe. Lembra-se, o estudante tem que ser proativo. O professor pode ajudar na escolha, se precisar.

As sessões não são aulas, são experiências, para treinar, tirar dúvidas e conversar sobre assuntos e ideias que o estudante quer aprender em inglês. Na conversação o professor corrigirá erros fundamentais e ensinará através da conversação.

A chave de aprendizagem de qualquer coisa é isto: Tem que gostar o que quer aprender. Tem que ter um grande interesse no que se faz. Não adianta em nada se o professor força o aluno a ler aquilo que não é interessante para ele. O estudante é o dono da sua própria vida. Se não, vai viver a vida dos outros, não a dele.

Temos esta vida só, como eu e como você. Nos personagens que somos e os pápeis que representatmos nesta vida é um evento único, que nunca vai repetir. Como foi dito:


“O mundo inteiro é um palco
E todos os homens e mulheres não passam de meros atores
Eles entram e saem de cena
E cada um no seu tempo representa diversos papéis.

+ William Shakespeare +

Cada vida é única, como um floco de neve. Ele cai do céu, flutua e depois desaparece, para nunca mais ser igual o que era. Depois, volta para o universo, o além.

Viva a vida intensamente, agora, e não amanhã! Amanhã não existe; é somente um eterno agora!

Aprenda, agora, o que quer, não o que o mundo quer e não o que o professor quer e não o que seus amigos querem.

Você tem que saber o que você quer.

A vida é como uma grande aula, tem que achar o que quer saber e o que quer aprender. Que seja construtivo e que eleva você nas alturas. A escolha é sempre sua.

Quem procura, acha!

O significado da palavra “educar”, no sentido original, em latim, significa trazer à tona aquilo que o estudante já é!

Hoje em dia, a educação não é nada mais do que doutrinação. Ensina-se o que pensar e não como pensar.

Se tiver qualquer dúvida nas suas pesquisas para achar algo interessante sobre o conteúdo de um site ou sobre um artigo ou se precisar saber como procurar algo para ler ou algo que você queira saber em inglês é só pedir, o professor ajudará no que for possível.

O professor pode explicar, pessoalmente, online, tudo sobre as sessões particulares em uma sessão gratuita de 60 minutos. É só agendar.

Para as sessões particulares, precisa-se, no mínimo, de uma sessão de sessenta minutos, uma vez por semana ou por mês dependendo do seu nível, seu tempo, e do seu bolso.

O professor ajudará o aluno a ficar mais cônscio e o ajudará como aprender inglês e como se tornar mais cônscio dos erros de gramática, pronúncia e vocabulário.  O professor ajudará você a quebrar hábitos obtidos por causa de vícios na pronúncia, erros na gramática e erros no entendimento de vocabulário, principalmente, cognatos que, nem sempre, tem o mesmo sentido.

Sessenta minutos gratuitos são oferecidos, sem compromisso, e, sem pressão, para saber mais do método que foi explicado acima.


“O exercício corporal, quando obrigatório,
não faz mal para o corpo,
mas o conhecimento que é adquirido sob compulsão
não obtém nenhum poder sobre a mente.”

+ Platão +
A República
Livro VII, 536e

+

As ferramentas necessárias para as sessões (in English)

Termos de Serviço